...

   Notícias


30/01/2020

   Diversidade de Aves no Parque Estadual Fritz Plaumann


O Parque Estadual Fritz Plaumann (PAEFP) é uma Unidade de Conservação de Santa Catarina administrado pelo Instituto Estadual do Meio Ambiente – IMA em parceria com a Ecopef. O Parque está situado em Sede Brum, no município de Concórdia e compreende uma área total de 741,9 hectares.

Foi criado como medida de compensação pelos impactos ambientais gerados no empreendimento da Usina Hidrelétrica Itá que atingiu sete municípios de Santa Catarina e quatro do Rio Grande do Sul ao longo da calha do Rio Uruguai. Por meio de consulta pública foi atribuído à Unidade o nome do entomólogo e botânico Fritz Plaumann, um ilustre naturalista alemão que contribuiu diretamente para o levantamento da flora e da fauna da região.

O Parque Estadual Fritz Plaumann é a única Unidade de Conservação de Santa Catarina que protege remanescentes da Floresta Estacional Decidual, esta que é a formação florestal mais ameaçada no estado e uma das mais ameaçadas no bioma Mata Atlântica, sendo, portanto, um valioso refúgio para exemplares de fauna e flora, especialmente as aves pela exuberante penagem, canto estridente, ou até mesmo pela arquitetura de seus ninhos.

Conforme dados do seu plano de manejo, o Parque possui uma rica diversidade de aves, sendo que 340 espécies são de possível ocorrência no local, com registro de mais de 232 espécies, o que representa mais de 35% da avifauna catarinense.

Das registradas no Parque, algumas destacam-se pela sua raridade em Santa Catarina e importância na conservação como, por exemplo, o bacurau-tesoura-gigante (Hydropsalis forcipata), coró-coró (Mesembrinibis cayennensis) e gavião-cabeça-cinza (Leptodon cayanensis). Algumas são restritas à floresta Estacional Decidual do oeste catarinense como araçari-banana (Pteroglossus bailloni), olho-falso (Hemitriccus diops), macuru (Nonnula rubecula), espécies que geralmente ocorrem em biomas de mata atlântica, mas não são passíveis de visualização no planalto.

O Parque está aberto para visitação desde o ano de 2007, possui um centro de visitantes com sala de exposições e auditório, atualmente está operando com três trilhas para visitação pública e conta com monitores para acompanhamento. Levando em consideração a rica biodiversidade do local, é comum a visualização dos mais diversos exemplares da avifauna silvestre, como no caso do guaxe (Cacicus haemorrhous) da imagem.



Comentários